Inscrição
Você adicionou a sua lista de inscrição.
Acrescentar outra inscrição! Prosseguir a inscrição!
X

Contato:

Aguarde, enviando contato!

Espaço Konsenti - Clínica de Psicologia, Psiquiatria e Coaching

Rua Alberto Folloni, 1088 | Curitiba | +55 (41) 3117-4546
☰ MENU

Ansiedade na Vida Acadêmica

Você já reparou que quase tudo começa com a preocupação? A preocupação não é simplesmente pessimismo, ela é o reflexo de muitas partes diferentes de quem você é.

|| Por Admin Work Control

|| dia

|| em Blog

Ansiedade na Vida Acadêmica

Uma vez que compreenda por que se preocupa e por que sua preocupação faz sentido para você, é possível explorar algumas coisas que evitem que a preocupação gere outros problemas maiores. A preocupação é o componente central da ansiedade.

Normalmente, as pessoas que têm propensão à ansiedade superestimam os problemas e subestimam sua própria capacidade de resolução destes problemas, além de terem pensamentos catastróficos. A superestimação, como o nome já diz, consiste em superestimar a probabilidade da ocorrência de um evento negativo (que é improvável). Já a catastrofização consiste em atribuir consequências catastróficas (extremas) a eventos menores, sendo que o evento passa a ser visto como intolerável. É importante ressaltar que é a interpretação da situação e não a situação em si que gera ansiedade.

Vamos tomar como exemplo um estudante universitário que faz estágio durante o dia e estuda à noite. Este estudante cobra-se por um bom desempenho no estágio, e por um bom aproveitamento acadêmico, soma-se a isso o fato deste estudante ter dúvidas em relação as suas escolhas profissionais e preocupações em relação à sua vida financeira. Dependendo do autoconceito que este estudante tem, ele pode começar a questionar sua capacidade de ser um bom profissional e vencer os desafios que se apresentam no início da vida profissional de qualquer formando. Desta forma, ele passa a se preocupar excessivamente com seu futuro profissional e pode ter pensamentos catastróficos de que vai ser incapaz de se inserir no mercado profissional e provar seu valor. A superestimação do problema está associada a uma percepção de baixa capacidade de lidar com essa ameaça. Destaca-se aqui a preocupação, a apreensão constante em relação ao futuro, ao que ainda não aconteceu. Assim, a persistente interpretação negativa dos estímulos, dos eventos ou das situações é crucial para o desencadeamento do estresse e da ansiedade.

É comum que os estudantes tenham incertezas sobre seu futuro profissional, porém é elevada intolerância à incerteza que pode provocar reações de hipervigilância quando o indivíduo é exposto ao incerto ou a dúvida, enquanto a excessiva intolerância aos estímulos emocionais gera reações cognitivas de evitação. A ansiedade excessiva sugere ser o resultado da oscilação entre o estado de hipervigilância e o estado de evitação.

A baixa tolerância à incerteza consiste numa predisposição do indivíduo a reagir negativamente diante de situações incertas, independentemente da probabilidade de ocorrer o que se teme e da consequência disso. Os indivíduos com ansiedade possuem uma tendência a interpretar as situações ambíguas como ameaçadoras, a estimar de forma elevada o risco e a considerar as situações ambíguas como negativas.

A ansiedade e preocupação excessivas estão associadas a três ou mais ou mais sintomas, são eles: inquietação, cansaço extremo, dificuldade de concentração, irritabilidade, tensão muscular, perturbação do sono. É importante estar atento a estes sintomas. A vida acadêmica é repleta de desafios e incertezas, porém a forma como os estudantes se preparam e encaram esses fatos é de vital importância para sua saúde emocional.

Para mais informações, entre em contato conosco ou ligue para (41) 3117- 4546 / (41) 99165-4545 e agende sua consulta com nossos especialistas.

Andressa Nunes
CRP 08/14958

Olá , deixe seu comentário para Ansiedade na Vida Acadêmica

Enviando Comentário Fechar :/